domingo, 1 de fevereiro de 2009

Histórias Chinesas

Esta é uma estória baseada em fatos reais.
Os nomes e lugares foram alterados para manter a identidade de nossos personagens desconhecida.

Em uma certa empresa na China, uma jovem senhora chamada Li Wuan - uns 30 anos chegou alegre e sorridente em seu trabalho exibindo sua tão gloriosa nova carteira de motorista.

É importante mencionar que aqui na China para se conseguir a carteira tem que se estudar um manual com 1.500 questões das quais 100 caem na prova e é preciso acertar um mínimo de 90 questões.

Um colega por volta de seus 30 e poucos anos, já não muito bem quisto e com histórico de ser um chato de galocha, assim que viu o documento começou a desmerecer o objeto de desejo da pobre Li. Bradava na sala que agora as ruas não eram mais seguras, o que seria dos pedrestes e dos outros motoristas, que ela avisasse quando fosse sair pra ele não estar por perto, etc..

O que era para ser uma brincadeira de mal gosto, começou a tomar caratér de ofensa e o Sr. Chang descambou para a baixaria ofendendo a honorável família da moça, esta por sua vez já estava aos prantos e todos na sala onde os dois trabalhavam admiravam a cena.

Entre as palavras de Li dizendo que os filhos de Chang nunca iriam se casar, e os brados de Chang: -Tu não é de nada, sua mãe é uma mula e se teu marido frouxo quiser vir aqui que venha. Ele não é homem para me enfrentar e muito menos para defender a honra da esposa!

Isto no Brasil ofenderia, mas aqui é uma coisa seríssima.
Na mesma noite, após todos terem ido para suas casas, o senhor Chan escuta sua campainha tocando. Ao abrir a porta não foi possível dizer nem ao menos boa noite ao sujeito que lá se encontrava, visto que o Sr. Wuan, ao saber da estória ocorrida, sentiu-se ofendido e precisava mostrar que era um homem honrado; para tanto, dirigiu-se à casa do desaforado colega de sua esposa e o espancou ali bem na porta de entrada com toda a familia do famigerado assistindo.

No outro dia ao chegar ao trabalho o Sr. Chang tinha um curativo na cabeça perto da testa, outro no meio da bochecha e mais alguns arranhões. A principio disse que tinha sofrido um acidente, depois, a fim de obter testemunhas contou da surra que havia levado e abriu um processo na policia.
Decidiu fazer um tribunal no trabalho; chamou uma colega de testemunha, um outro para ser o juiz da questão a pobre e humilhada Sra. Li Wuan e começou outra discussão. O Sr. Chang apresentou uma lista para a qual exigia indenização. A lista continha:
- taxi até o hospital XX yuans
- Chá para feridas XX yuans
- Consulta médica XX yuans
- gás gasto para fazer o chá XX yuans
- horas de minha mãe fazendo o chá e me tratando XX yuans
- ida de moto para comprar o chá XX yuans
- volta de moto com o chá XX yuans

E por aí ia a coisa. Após horas de argumentação, o colega que havia sido determinado como juiz perguntou ao Sr. Chang:
- Se eu tomar qualquer decisão que não seja a seu favor, voce aceitará?
Imediatamente Chang respondeu: - Impossível, eu só aceito a meu favor.
O Juiz argumenta: - Mas isto não é justo! Você começou a confusão
Chang afirmou: - Se hoje eu chegar em casa sem este dinheiro de indenização minha mãe vai me xingar! Ela não vai aceitar que eu tenha saído no prejuízo!

Pasmem! O Sr. Machão Chang chefe de família, metido a valentão tinha medo da mãe!

Até entendo isto agora que já convivemos um pouco mais com este povo tão diferente...

Para acabar a estória, após veridito, que é definido pela própria polícia em curto espaço de tempo, nossa mocinha Li Wuen e seu marido tiveram que pagar 400 yuens de indenização ao tal sujeito.

É mole ou quer mais?!

Um comentário:

Eliane disse...

E depois dizem que os gaúchos é que são machistas, rsrsrs! Até o final da temporada por aí vai dar para escrever um livro, ou mais de um...