quarta-feira, 4 de março de 2009

Sistema anti-depressão

Hoje acordei com um mal humor do cão.
Levei os meninos aos seus transportes. o Thiago para sua escola e voltei para casa pronta para entrar na cama e me esconder em baixo das cobertas mandando o mundo para aquele lugar.
Sentia saudades da minha casa, dos meus amigos, da minha família, da minha rotina e de tudo o mais que os pronomes possessivos permitissem.

No caminho decidi que auto-piedade é muito chato e antes que tivesse chance de mudar de opinião, cheguei em casa, troquei de roupa, calçei tênis, passei a mão no MP4 recheado de músicas dos Beatles, presente da Tante.
A principio pensei que esta não era a trilha sonora adequada, mas não podia perder tempo. Sai para a rua novamente e no caminho descobri que era perfeita.

Todos conhecem a máxima que diz: "Quem canta seus males espanta"; assim como "exercitar-se libera endorfinas e traz felicidade".

Resolvi testar as teorias e me soltei na rua correndo em direção ao parque que temos aqui perto.
Não pensem que foi aquela coisa atlética, nada disto. Mas, 45 minutos de exercício, 3 minutos correndo e 3 em marcha rápida se mostrou um ótimo remédio.

No parque tinha muitas senhoras e senhores octogenários. Alguns andando para trás - Isto melhora o equilíbrio; outros caminhando e balançando os braços de um lado para outro - melhora a circulação, outros praticando Tai Chi Chuan.

Os Beatles se mostraram ótimos companheiros de caminhada/ corrida.
Embalada ao som de Help, In my life, A day in the life, Revolution, pensei que podia cantar, afinal, ninguém me conhece ou entende, sou um ser estranho para os chineses e então cantei feliz da vida.
Se me permitem vou até usar um trecho de uma música muito conhecida: "-Caminhando e cantando e seguindo a canção!

Olhar aquele lugar tão bonito, cheio de flores, árvores, lago, paz. Me sentir segura, sem medo de ser assaltada ou qualquer coisa assim. Cantando e sorrindo para as pessoas que estavam ali e tendo retribuição, me fez sentir bem.
E assim, de repente sem mais nem menos, me senti feliz!

3 comentários:

(l' excessive) disse...

vI teu comentário no blog da Celia, outra desgarrada da EPCOS em terras do outro lado do mundo.
Fiquei surpresa de saber voces tão mais distantes que ela, Dado e Duda.
Se não lembras de mim, sou Beth, tia do Dado, irmã do Kasper.
Céus!!!!
É interessante saber como vocês se sentem longe da terrinha. Aliás, a foto da capa de teu blog mostra o quanto tudo daqui faz falta.Mas estás certa.Nada de deprê pois c' est la vie. Experiências de vida que jamais vão esquecer.
Vou linkar teu blog para tb. acompanhar as aventuras de vocês aí na China.
Um abraço, relaxe e aproveite.

para matar saudades disse...

mia mestrina mi
=a felicidade, o sucesso e a realizacao pessoal serao sempre o resultado dos objetivos e nunca serao os propios objetivos= tudo isso amadurece e intensifica tua seguranca...
um abraco carinhoso mada

Ane disse...

Miroca! Ainda tens muito tempo pra descobir as coisas boas de estar do outro lado do mundo. Saudade sim das pessoas da nossa terra, mas os "gringos" tem muito a nos ensinar tambem e nos a eles.
Sentir-me livre nas ruas, sem estar agarrada na bolsa ou desconfiada de tudo e todos e' uma das razoes de eu nao ter voltado pra nossa terra...
bjao! estas me encorajando a fazer um blog, com as curiosidades de ozzyland.